DISTRAÇÕES_i_IMAGENS

...um olhar sobre... as minhas IMAGENS preferidas e algumas DISTRAÇÕES ...

"A fotografia é a poesia da imobilidade: é através da fotografia que os instantes deixam-se ver tal como são." (Peter Urmenyi)
"A dignidade pessoal e a honra não podem ser protegidas por outros. Devem ser zeladas pelo indivíduo em particular" (Mahatma Gandhi)
"Para viajar, basta existir. " ( Fernando Pessoa )

terça-feira, janeiro 25, 2011

... " o carteiro toca sempre duas vezes " ...

(... uma pequena introdução, continuamos na área das DISTRAÇÕES ...)

"O carteiro toca sempre duas vezes "...
Não é uma frase, é um título... de um filme realizado por Bob Rafelson em 1981, onde se contava, entre outros com a participação de Jack Nicholson e Jessica Lange...
Certamente muitos outros filmes foram feitos ao longo dos tempos, tendo como tema ou, personagem, o carteiro...


Outro, talvez um dos melhores filmes de sempre, na minha opinião, "O Carteiro de Pablo Neruda".
Embora seja um excelente tema, falar deste filme, o Carteiro de Pablo Neruda, não é de forma nenhuma o tema que para aqui me transportou hoje.
É que, enquanto atravessava a Ponte Vasco da Gama em direcção aos meus afazeres diários, mensais, e mais o que queiram, ouvi na radiola do meu meio de transporte que era o Dia do Carteiro, dia 25 de Janeiro - Dia do Carteiro.
Achei "piada", dado que com tantos dias para comemorar, ainda estou para saber se também há o Dia da Não Comemoração ou Efeméride, bem como não fazia a mais pálida ideia que havia um Dia do Carteiro.
Carteiro ... Ainda não há muito tempo, e penso que mesmo ainda hoje, em muitos locais deste nosso Portugal, é a pessoa mais aguardada em determinados dias do mês...
É aquele, que lá mais para o fim do mês transporta o cheque com a parca reforma do Sr. Joaquim e da D. Alzira, que vivem numa aldeia "encerrada" no meio da Peneda Gerês, por exemplo...
É o Carteiro que transporta as notícias da filha, que há uns anos largos, partiu dessa mesma aldeia, em busca de um sonho de uma vida melhor, lá na capital... afinal a D. Alzira, nunca veio à capital... Não tem tempo... a lida do campo não lhe permite tal devaneio.
E como nem ela, nem o Sr. Joaquim sabem ler, é o Carteiro que lhes diz aquilo que a filha escreveu... dá as boas notícias... também sofre com as más...
Mas nem todos os Carteiros são como este que palmilha diariamente as terras da serra.
Mas todos, mesmo todos, caminham, guiam, todos os dias para levar a cada um de nós notícias e comunicações mais ou menos importantes... algumas delas bem as dispensavamos, a conta da luz, a renda da casa, a multa por excesso de velocidade, mas também estas são entregues normalmente no seu destino.
Todos nós temos os nossos inimigos ou amigos de referência...
Também os Carteiros ...
Para estes, o cão que é o melhor amigo do Homem, diga-se em abono da verdade, não o é em relação ao Carteiro... Que apetitosas deverão ser, em algumas vilas e aldeias, as rodas das bicicletas e motorizadas, onde os nossos amigos carteiros se fazem muitas vezes transportar.
Pois, o cão nem sempre é o melhor amigo, pelo menos o Carteiro que o diga...
Embora muito mais gente, tanto moradores, como a exercer esta profissão, hoje em dia, como em tantas outras profissões, também esta perdeu alguns traços que nos deixam com alguma nostalgia. Muito mais informatizado, o serviço de entrega de correspondência perdeu algumas características que lhe conferiam aspectos de presença e amizade entre o Carteiro e o receptor das novidades.
No entanto, ainda hoje, em muitos locais deste país, existe uma quase cumplicidade entre o Carteiro e o comum dos mortais...
Pois é, não é esta nenhuma referência com intenção de homenagem... Com disse no início, nem sabia que havia o Dia do Carteiro. Carteiro, importantíssimo durante os anos da guerra colonial, onde muitas Mães e Esposas, aguardavam com uma ansiedade imensa, notícias dos seus, que tinham partido em defesa do Império e da Honra... Talvez, digo talvez, embora tenha a completa certeza que, em muitos corações, quando chegava o Carteiro, corressem rios de ansiedade que por infelicidade se transformaram também, muitas vezes, em dor e pranto... ou em felicidade e alegria...
Era o Carteiro, como ainda hoje é, quem levava as boas e as más...
Hoje, com as novas tecnologias, muitas vezes já não necessitamos do Carteiro... Mas uma coisa é certa, recebemos as novidades de uma forma completamente impessoal e descaracterizada, independentemente da origem dessa mesma notícia...
Ainda hoje temos Carteiros que percorrem as estradas e vielas deste terreno com apenas e só um objectivo... dar a notícia, levar ao destino algo, que alguém sem pedir, pediu que entregassem...
E esta, sim, não é impessoal... É pelo contrário, entregue com rosto ... o Rosto do Carteiro... e eu pessoalmente prefiro... mas nem sempre é possível ... mas realmente é diferente, receber as novidades pela mão de alguém com rosto, com alma, com Vida .... o CARTEIRO....que nem sempre toca duas vezes... por vezes nem toca, deixa logo tudo na caixa do correio...
Pois é, hoje, dia 25 de Janeiro, é o Dia do Carteiro ...

(Imagens retiradas da Internet)

Sem comentários:

Enviar um comentário