DISTRAÇÕES_i_IMAGENS

...um olhar sobre... as minhas IMAGENS preferidas e algumas DISTRAÇÕES ...
"A fotografia é a poesia da imobilidade: é através da fotografia que os instantes deixam-se ver tal como são." (Peter Urmenyi)
"A dignidade pessoal e a honra não podem ser protegidas por outros. Devem ser zeladas pelo indivíduo em particular" (Mahatma Gandhi)
"Para viajar, basta existir. " ( Fernando Pessoa )

quarta-feira, abril 28, 2010

... olhar por terras de Fronteira ... Alentejo de Portugal...


" Amigos! Bem sabeis que o Mestre me enviou a esta terra para que com a ajuda de Deus, vós e eu a defendamos de algum mal ou dano que os Castelhanos lhe queiram fazer; e que esse feito lhes daria, para sempre, grande honra e bom nome. .... "

" Amigos! Por serem muitos os castelhanos e grandes senhores, tanto maior honra e louvor vos virá de os vencerdes; e quanto a estarem com os castelhanos os meus irmãos, eu vos digo que defenderei a terra que me criou, e para terdes a certeza de que assim é vos prometo que, com a ajuda de Deus serei o primeiro a iniciar o combate ; e quanto a eles serem muitos e nós poucos, já muitas vezes sucedeu os poucos vencerem os muitos, porque a vontade de Deus é superior à dos homens ; ....." 


(Retirado de www.batalhadosatoleiros.com)



Foi com estas palavras que D. Nuno Álvares Pereira, nomeado pelo Mestre de Aviz, fronteiro da comarca de Entre o Tejo e Guadiana, se dirigiu, em 5 de Abril de 1384, aos seus homens e população .
No dia seguinte, em 6 de Abril de 1384, mandou, às primeiras horas da manhã, tocar as trompetas, e depois de assistir à missa, parte em direcção a Fronteira, à frente de um exército de 1500 homens.


Cerca das 12:00 horas, ouviu-se " Por Castela e por Santiago ! "

Os castelhanos, e sua cavalaria, de lanças em riste, avançaram em direcção ao exército luso.
Foi nesta batalha, contra o invasor castelhano, que pela primeira vez se utilizou uma estratégia de combate, a formação em quadrado. Outra estratégia inteligente deste "Chefe" foi a escolha dos terrenos onde a batalha se havia de desenrolar. A característica argilosa destes terrenos, implicou um avanço penoso, e por vezes impossível das forças castelhanas, dado que os cavalos ficavam enterrados no barro.
Fruto desta dificuldade, muitos dos cavaleiros das forças castelhanas ficaram por terra.
No dia seguinte, D. Nuno Álvares Pereira, dirigiu-se para Assumar, descalço e a pé, em agradecimento pelo resultado deste combate, para rezar a Santa Maria de Assumar.


Tinhamos vencido os castelhanos.
Foi nestes campos, atoleiros situados perto de Fronteira, que demos um passeio de cerca de 14 Km a pé. 
Organizado pela SAL, foi um motivo para saírmos de casa, darmos um passeio e aprendermos qualquer coisa.




Foi um dia, em que ouvimos esta história, com mais ou menos pormenor, com um ou outro ar de "lenda". Mas estes actos de heroísmo e vitória, que fazem parte da nossa história, são sempre motivo de mais ou menos lendas. Uma coisa é certa e concreta. Vencemos a Batalha dos Atoleiros.




Em Fronteira, terra com sabor alentejano, festejava-se mais uma vez esta vitória.


Depois de percorrermos os campos onde decorreu a batalha, em dia de chuva, que nos permitiu ter mais contacto com as dificuldades impostas pelo terreno, acabámos a deambular pelas ruas de Fronteira, apreciando os aromas e  os espectáculos que nos transportavam para a época da batalha.



As iguarias da "época" eram um "Cartão de Visita" desta vila.
Os doces conventuais, também participaram nas festas.
Nós, visitantes, tentando passar entre os intervalos da chuva, lá caminhámos pelas ruas "testando" se os sabores eram tão bons como os aromas.

Mais uma vez, as gentes de Fronteira mostraram como sabem receber e acolher os visitantes.


(Fotografias de Fernando Ferreira)

2 comentários:

  1. Uma magnífica postagem.
    Óptimo e muito interessante TODO o texto e imagens a condizer.
    14 km a pé!
    Era o que eu precisava, mas não conseguiria ter passado entre a chuva!...

    ResponderEliminar
  2. Olá FAIRES
    O nosso Alentejo é "UM EXCESSO DA NATUREZA"! E Poderia estar melhor, se não fosse abandonado pelos que se sentam na cadeira do poder.
    Parabéns pelo excelente trabalho.
    Abç
    G.J.

    ResponderEliminar