DISTRAÇÕES_i_IMAGENS

...um olhar sobre... as minhas IMAGENS preferidas e algumas DISTRAÇÕES ...
"A fotografia é a poesia da imobilidade: é através da fotografia que os instantes deixam-se ver tal como são." (Peter Urmenyi)
"A dignidade pessoal e a honra não podem ser protegidas por outros. Devem ser zeladas pelo indivíduo em particular" (Mahatma Gandhi)
"Para viajar, basta existir. " ( Fernando Pessoa )

segunda-feira, novembro 09, 2009

... foi há 20 anos ...

Faz hoje 20 anos, que na Europa se deu o inicío prático de uma grande mudança.

Central Park - New York
(Foto de Teresa e Fernando )


Faz hoje 20 anos, que se pôs fim à separação entre Leste e Oeste (Ocidente). Desaparecia o "Muro de Berlim".

Eram "abertas as portas" de Brandenburgo, como sendo o símbolo do quebrar desta separação entre Ocidente e Leste. A República Democrática Alemã e a República Federal da Alemanha davam o seu lugar à Alemanha, um país unificado. Era o inicío de uma nova época de esperança para aquele povo que tinha vivido durante os últimos anos debaixo de um regime ditatorial.
As pessoas podiam agora circular livremente entre os dois lados daquele muro, daquela parede que, até então, os mantinha separados. A mesma língua, mas vidas completamente diferentes.
Não posso dizer como era. Não estava lá. Não sei.
O que sei foi pelo que ouvi dizer, pelo que li e pelo que vi nos jornais e televisões.
Mas pelo que vi, foi emocionante.
As pessoas abraçavam-se, mesmo não se conhecendo de lado nenhum, como se fossem velhos amigos, familiares que não se viam há muitos anos.
Entre 09 de Novembro de 1989 e 19 de Novembro deste mesmo ano, o Muro de Berlim, foi sendo fisicamente destruído de modo a unificar aquela cidade de Berlim.
Na antiga RDA havia muitos automóveis da marca TRABANT. Atingiam a velocidade de 50 Km/hora. Depois desta libertação, muitos vieram até à parte ocidental passear. Dada a baixa velocidade destes carros tiveram de os parar durante algum tempo de modo a que os autocarros e transportes públicos circulassem de um modo eficiente, dado que os TRABANT, estavam a criar autênticos engarrafamentos. Tal era a felicidade das pessoas. Tal era a sua pressa de serem livres e de visitar um "mundo" diferente, mesmo ali ao lado.

... 20 anos se passaram....

Tudo está diferente, e hoje quando vinha para a minha luta diária, ouvi na rádio algo que me espantou.
Uma grande percentagem de inquiridos da antiga RDA, consideraram que tinham melhores condições de vida há 20 anos atrás do que as que têm hoje.
Como é isto possível ? Perguntei-me ....
Será que ouvi bem ?? Voltei-me a perguntar ...
Tentei perceber. Ouvi melhor e então entendi.

A Alemanha hoje, é ainda não uma, mas duas.
No "Leste" ganha-se, em média, menos que na parte Ocidental.
A Taxa de Desemprego é bem maior.
O nível de vida é mais baixo.
As pessoas vivem com mais dificuldade.
Dizia este comentador, que entre a "Alemanha Ocidental" e a "Alemanha Oriental", existe uma diferença de tratamento nos postos de trabalho, na Saúde ou na Educação.
Há ainda grandes diferenças entre "as duas Alemanhas".
Então percebi.
Deixo isto para os peritos e analistas da nossa praça e da "nossa Europa".

Bem sei que não se pode fazer tudo ao mesmo tempo, mas quem em 13 de Agosto de 1961 despertou com o barulho de máquinas e descargas de materiais de construção, para a construção deste muro, não percebe bem, que depois de tanta luta, tentativas de fuga, prisões e mortes, durante 28 anos, que 20 anos depois ainda existam muros.

Existem ainda muitos muros para derrubar.
Existe o Muro da Fome e da Pobreza, existe o Muro da Desigualdade Social. Estamos no séc. XXI e ainda existem muros.
Neste séc. XXI, quando não existem muros nós inventamo-los. Ainda se fazem outros muros.

Também nas notícias, hoje, 20 anos depois da "Queda do Muro de Berlim", na Cisjordânia, um grupo de manifestantes "derrubou" uma pequena parte do muro que está a ser erguido pelas autoridades de Israel. Foi uma acção simbólica.

Bem sei que tudo o que está acima, são "lugares comuns"; é fácil falar e criticar. Mas também acho que todos temos a responsabilidade de continuar não só a tentar, mas sim trabalhar neste projecto de desenvolvimento, de forma a conseguir-se uma "Europa mais justa" e um "Mundo melhor".
Todos temos o DEVER para se atingir o DIREITO. Todos temos direito a este DIREITO.

Todos nós temos o direito ao Sonho, a uma nova Esperança. De certeza que aquelas pessoas, não querem regressar ao passado.
Não acredito.
O que acredito é que estão a pedir ajuda, porque acredito que o Presente é bem melhor que o Passado e o Futuro será certamente risonho.

Este povo sonhou durante muito tempo. Durante 28 anos, acreditou que era possível. Foi possível. Agora continuam a sonhar... Continuam a acreditar...

Penso que é neste objectivo que temos de acreditar.

A imagem do inicío, não está ali por acaso.
Transporta-me à letra daquela música de Jonh Lennon, "Imagine".

"...
Imagine all the people..
living life in peace..
......
You may say I'm a dreamer
.....
and the world wil be as one..
..."





Eu gosto da música. Eu gosto desta letra. Consigo imaginar. Não sei quando será possível, mas acredito, gosto de ter este sonho....
Eu acredito que é possível...
Eu acredito....

1 comentário:

  1. Também gosto dessa música, que me traz recordações muito especiais, de uma noite de partilha em Marrocos. Os muros aparecem em muitos sítios, muros físicos, muros mentais. Pelo menos esse Muro, que representava a separação entre dois mundos, já caiu. Festeje-se portanto!
    Bjs

    ResponderEliminar