DISTRAÇÕES_i_IMAGENS

...um olhar sobre... as minhas IMAGENS preferidas e algumas DISTRAÇÕES ...
"A fotografia é a poesia da imobilidade: é através da fotografia que os instantes deixam-se ver tal como são." (Peter Urmenyi)
"A dignidade pessoal e a honra não podem ser protegidas por outros. Devem ser zeladas pelo indivíduo em particular" (Mahatma Gandhi)
"Para viajar, basta existir. " ( Fernando Pessoa )

segunda-feira, outubro 19, 2009

A Liberdade em Imagens e pouco mais...


“ The new Colossus “
Emma Lazarus
(1849 – 1887)

Não como o gigante bronzeado de grega fama,
Com pernas abertas e conquistadoras a abarcar a terra
Aqui nos nossos portões banhados pelo mar e dourados pelo sol, se erguerá
Uma mulher poderosa, com uma tocha cuja chama
É o relâmpago aprisionado e seu nome
Mãe dos Exílios. Do farol de sua mão
Brilha um acolhedor abraço universal; Os seus suaves olhos
Comandam o porto unido por pontes que enquadram cidades gémeas.
“Mantenham antigas terras sua pompa histórica!” grita ela
Com lábios silenciosos “Dai-me os seus fatigados, os seus pobres,
As suas massas encurraladas ansiosas por respirar liberdade
O miserável refugo das suas costas apinhadas.
Mandai-me os sem abrigo, os arremessados pelas tempestades,
Pois eu ergo o meu farol junto ao portal dourado.


Retirado de “ruadajudiaria.com”


Estas são as palavras, que se encontram inscritas no pedestal da Estátua da Liberdade e que foram o contributo da poetisa Emma Lazarus, para um leilão para a recolha de fundos em 1885.

A Estátua da Liberdade, símbolo dos Estados Unidos da América, foi doada pelo governo francês, em 1875, tendo chegado a solo americano em 1885.

Foi inaugurada em 28 de Outubro de 1886, após a construção do seu pedestal, e posterior montagem, na comemoração do centenário da assinatura da Declaração da Independência dos Estados Unidos.

Tem 92 metros de altura, considerando o seu pedestal.

Na mão direita a "Tocha dourada" como que um sinal e indicação do caminho com rumo à Liberdade.

Na mão esquerda um livro com a data de 4 de Julho, Dia da Independência .

Situada em Liberty Island, na foz do Rio Hudson, foram estas as primeiras imagens que milhares, para não dizer milhões de imigrantes tiveram e recordaram para sempre, da sua chegada à "terra do sonho e esperança".

Da história da Estátua da Liberdade e da história de Ellis Island já muito se escreveu e de certeza muito melhor do que estas palavras.

Mesmo assim, queria dizer que estivemos em Liberty Island (a Ilha da Liberdade) e ainda hoje, ao visitar estes monumentos se sente uma carga simbólica de grande dimensão.´

São bem actuais, para quem visita a Estátua da Liberdade, as palavras proferidas pelo Presidente Grover Cleveland, em 1886 aquando da inauguração :


" ... a Liberdade tem aqui a sua pátria ....."


Gostei de conhecer esta "Senhora".
Gostei de estar em Liberty Island.


(Alguma informação retirada de "ruadajudiaria.com")
(Todas as fotografias são de Teresa e Fernando / Agosto 2008)

3 comentários:

  1. Permita que lhe pergunte: porque aquele "e pouco mais" ?
    Conheço muitos países de quatro continentes.
    Em mais nenhum, senti Liberdade tão cheia de sentido como aí.
    O que o Presidente Cleveland pronunciou está perfeitamente actualizado.
    Todavia, nos últimos anos, os milhões de imigrantes, de todas as nacionalidades e com graus de civilização tão díspares, possam obrigar a que sejam tomadas medidas que muitos poderão considerar ferir o conceito de liberdade.
    Mas, reflicta por breves momentos: Se em sua casa estivessem forasteiros que causassem perturbação e distúrbios à sua família, o FAIRES ficaria paralisado?

    Um abraço e grato peloseu comentário.
    Volte sempre!

    ResponderEliminar
  2. Caro João Menéres,
    Desde já quero agradecer o seu comentário.
    Quanto às questões, digo :
    ...e pouco mais... porque penso não ter conseguido, e nem tive essa pretensão,traduzir por palavras e imagens os sentimentos e as ideias que senti e tive quando estive junto à Estátua da Liberdade ao ver e observar,entre outras "coisas", as pessoas e o ambiente vivido;
    Quanto à última questão, estou de acordo consigo a 100%. Defendo e entendo a necessidade da imigração e da emigração, mas também defendo a necessidade e o DEVER do respeito pela cultura, tradições e costumes, de quem recebe.Nesta Aldeia Global todos nós temos Direitos mas principalmente Deveres.E é na gestão e compromisso destes dois factores, que se encontra o sucesso.
    Infelizmente nem todos compreendem que têm Direitos mas também têm DEVERES, e por isso, não ficaria paralisado mas talvez aterrorizado.

    ResponderEliminar
  3. Regozija-me o facto de ter interpretado esse seu "...e pouco mais" num sentido que não correspondia ao que lhe ia no espírito.
    O VARAL DE IDÉIAS é tão somente o pai de muitos de muitos e muitos blogues que habitam hoje neste universo.
    Além disso, o EDUARDO P. L. é uma pessoa incrível, de uma sabedoria humana sem limites, editor de um número enorme de outros blogues.
    Sugiro que o "estude" com toda a atenção, pois dela é merecedor.
    Prometo vir aqui sempre que me for humanamente possível.


    Um abraço e boas viagens.

    ResponderEliminar