DISTRAÇÕES_i_IMAGENS

...um olhar sobre... as minhas IMAGENS preferidas e algumas DISTRAÇÕES ...
"A fotografia é a poesia da imobilidade: é através da fotografia que os instantes deixam-se ver tal como são." (Peter Urmenyi)
"A dignidade pessoal e a honra não podem ser protegidas por outros. Devem ser zeladas pelo indivíduo em particular" (Mahatma Gandhi)
"Para viajar, basta existir. " ( Fernando Pessoa )

quarta-feira, outubro 07, 2009

Cidade Romana de AMMAIA

Em passeio, após percorrermos uma estrada bem marcada e delimitada entre Marvão e Castelo de Vide, Portalegre, surge , por um lado sob a protecção das encostas de vegetação frondosa da Serra de S. Mamede, por outro lado sob o olhar altaneiro e também protector das muralhas da linda e única localidade de Marvão, a CIDADE ROMANA DE AMMAIA, em S. Salvador de Aramenha.

(Fotografia de Fernando Ferreira)
O museu está instalado num pequeno edifício, muito bem recuperado, onde se pode visitar e ver em várias salas, um imenso espólio que foi recolhido durante as escavações arqueológicas efectuadas nas ruínas da Cidade Romana de Ammaia.
Somos convidados a entrar, a visitar o espólio formado por peças únicas, que datam na sua grande maioria do Séc. I d.C. .
Não sou especialista em museus, mas pela visita que fizemos, num final de tarde de Domingo, a forma de exposição e mostra das diversas peças, a forma como se encontram preservadas, a informação disponível de fácil consulta e leitura, revelou-se uma agradável surpresa.
(Clique na imagem para aumentar)
Depois da visita feita ao museu, saímos para o exterior, para visitar as ruínas.
Disse que não sou especialista em museus, nem em arqueologia.
No entanto, também aqui neste espaço, tive uma surpresa, agora menos agradável.
Caminhámos através de caminhos mais ou menos delimitados, tendo algumas placas, já com alguma degradação, indicações e informação dos diversos lugares visitáveis, Forum, Termas entre outras.
As zonas de escavação e pesquisa arqueológica, estão na sua grande maioria, com um aspecto de abandono, onde crescem ervas, algum lixo fruto de visitantes de poucos escrúpulos e de baixo respeito pelo património, onde as "vedações" ou "protecções" que delimitam as zonas das ruínas e das escavações "construídas" por ferros ou paus ligados entre si por corda, fita plástica , etc.
Por momentos pensei que estava num local votado ao abandono.
Por momentos pensei que o museu que tinha acabado de ver e admirar, não pertencia à mesma estrutura.
O meu desapontamento atingiu o limite ao ver, "cuidadosamente" colocada em cima de um dos muros destapados pelas escavações arqueológicas, uma placa vermelha informando que estávamos numa "Zona de Caça Municipal".

(Fotografia de Fernando Ferreira)

Não havia certamente, melhor local para colocar esta placa.
Registei este momento. Não com o objectivo de crítica mas sim, para uma chamada de atenção.

(Fotografia de Fernando Ferreira)

Dirigi-me à saída, que é feita pelo museu, e perguntei ao colaborador que se encontra no museu a receber os visitantes, fazendo-o de uma forma agradável e condizente com este espaço do museu, o porquê do aspecto das ruínas.
Informou-me das diversas dificuldades por que tem passado esta Cidade Romana de Ammaia.

Estas ruínas, classificadas como Monumento Nacional em 1949, estiveram abandonadas até 1994. Nesta altura deu-se a constituição da Fundação Cidade de Ammaia, e a partir dessa altura deram início a esforços de forma a estudar e preservar esta relíquia de património nacional.
O museu está instalado num edifício restaurado entre 1999 e 2001.

Entretanto, com o apoio possível da Câmara Municipal de Marvão, o apoio da Universidade de Évora e graças a "parcerias" com organismos e universidades europeias, nomeadamente a Universidade de Casino - Itália e a Universidade de Gent - Bélgica, o futuro desta cidade parece ser risonho.

Novas tecnologias vão ser utilizadas, nomeadamente radiografar esta área, permitindo um profundo conhecimento da mesma sem danos para as estruturas e artefactos que se possam ainda vir a descobrir, determinando as suas características, localização e estado de conservação.
Está visto, que mais uma vez o drama desta relíquia, é a falta de apoios e interesse por quem neste país de uma forma concertada, tem a responsabilidade de preservar e dar a conhecer o património.

Mais uma vez, concluí que vivo num país, com um património de inigualável qualidade, mas de prioridades subvertidas.
Penso que, se fosse necessário organizar um Campeonato Mundial de Futebol, ou os Jogos Olímpicos, se tivessemos que construir um Estádio Olímpico de raiz, não faltariam debates, fóruns, programas televisivos, patrocínios etc, etc ...... , mas uma coisa é certa teríamos certamente dinheiro para realizar estes "sonhos".
Agora para proteger o nosso património, dar a conhecer as nossas origens, a nossa História, para este tipos de assuntos já temos mais dificuldade e até mesmo impossibilidades.
Estamos em 2009, desde o fim de recuperação do edíficio do museu até ao dia da minha visita passaram quase 10 anos. Uma década, durante a qual certamente muita gente, pessoas de grande valor cultural e de conhecimento, muitas vezes com esforço próprio, prejuízo da sua vida pessoal, lutou, luta e continua a lutar pela Cidade Romana de Ammaia, e de outras relíquias patrimoniais existentes neste nosso território.

Só espero que com estas iniciativas que estão neste momento a dar os primeiros passos, não se defraudem mais uma vez estas mesmas pessoas.
Lembro-me daquele jovem que nos recebeu no museu.
Era impressionante o entusiasmo, o brilho que tinha nos olhos, enquanto me explicava tudo sobre a Cidade Romana de Ammaia.
Era impressionante o carinho que mostrava, ao me dizer como devia fazer a visita ao museu. Até parecia que o museu era propriedade sua.
Aos governantes, às pessoas responsáveis deste país à beira-mar plantado, gostaria, que por uma vez, dessem sinais que para vós a Cultura é importante, que a nossa História é importante e imprescindível para a formação de uma Sociedade de Futuro e de Sucesso.
Na pesquisa que fiz sobre a Cidade Romana de Ammaia, dei de caras com um blog " Vendo o Mundo de Binóculos do Alto de Marvão" feito pelo Professor Pedro Sobreiro.

O Professor Pedro Sobreiro diz no seu post sobre a Cidade Romana de Ammaia, em jeito de desabafo, que " Fosse isto nos Estados Unidos e já estaríamos todos a viver de um Parque temático / lúdico / educativo ......"

Professor Pedro Sobreiro não é preciso ir para tão longe. Caso os Romanos se tivessem "enganado" em meia dúzia de quilómetros, os " nuestros Hermanos ", já estariam há alguns anos a viver deste espaço, e nós portugueses, mais ou menos interessados por este tipo de assuntos, até saíriamos das nossas casas, do nosso país, almoçavamos uns "Calamares" e umas "Tapas", e íamos visitar este espaço.
Professor Pedro Sobreiro, possivelmente um bom autarca (não tenho conhecimento para avaliar), mas certamente um homem apaixonado pela sua terra e pela Cidade Romana de Ammaia, termina o seu post dizendo, e passo a citar, " Pode ser... Sonhar ainda é das poucas coisas que felizmente ainda não paga imposto ... ".
Permita-me que lhe diga, Sr. professor, mesmo que pagasse, tenho a certeza que não seria por isso que deixaria de sonhar com uma Cidade Romana de Ammaia, aberta ao Mundo.
Peço-lhe a si a a todas as pessoas que o ajudam, que sonham com a Cidade Romana de Ammaia, que não deixem de lutar, não deixem de sonhar.
Já dizia o poeta;
"O Sonho comanda a Vida,
e quando um Homem sonha
o Mundo pula e avança ... "

Muito obrigado a quem sonha e luta pela Cidade Romana de Ammaia.

Eu certamente não a esquecerei, por tudo de bom que representa.

(Alguma informação e citações foram baseadas e retiradas do Blog vendoomundodebinoculosdoaltodemarvao.blogspot.com do Prof. Pedro Sobreiro)

Sem comentários:

Enviar um comentário